Suíno Preço Base
Cooper Central Aurora: R$ 3,00
Pamplona: R$ 3,00
BRF (Sadia/Perdigão): R$ 3,00
JBS Foods: R$ 2,90
+ Bonificação de Carcaça (Média da Bonificação 10%)

Ver Histórico

Bolsa de Suínos
Santa Catarina: R$ 3,62
São Paulo: R$ 4,10
Minas Gerais: R$ 4,20
Paraná: R$ 3,90

Ver Histórico

Mercado de Grãos - Santa Catarina
Milho: R$ 42,90 (Referência Copérdia)
Farelo de Soja: R$ 1,41

Ver Histórico

 
Links da Suinocultura
ABCS
ABPA
CANAL RURAL
CEPEA
CIDASC
CNA
EMBRAPA
FAESC SENAR/SC
FATMA
MAPA
MDIC
NOTÍCIAS AGRÍCOLAS
O PRESENTE RURAL
PÁGINA RURAL
PORKWORLD
SAFRAS & MERCADO
SEC. DA AGRICULTURA
SUINO.COM
SUINOCULTURA INDUSTRIAL
TERRA VIVA
 
ou data:
NOTÍCIAS DE MERCADO
12/02/2019 às 8h25
Crise na Venezuela pode abrir espaço a frango brasileiro
"A primeira coisa que a Venezuela vai precisar é de alimentos", afirmou o ex-ministro Francisco Turra, presidente da ABPA
Compartilhe esta notícia:

Em meio à articulação liderada pelos EUA - e apoiada pelo Brasil - para derrubar Nicolás Maduro da presidência da Venezuela, os frigoríficos brasileiros vão propor ao Ministério das Relações Exteriores a criação de uma linha de financiamento à exportação garantida pelo petróleo venezuelano.  A medida entraria em vigor caso a crise política do país termine com a vitória das forças oposicionistas.
 
O objetivo dos frigoríficos é unir um tema sensível - o abastecimento de alimentos para combater a fome na Venezuela - à necessidade de ampliar as exportações de carne de frango do Brasil, que vêm sofrendo nos últimos anos com restrições comerciais.
 
A proposta, preparada pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), será entregue nesta semana pelo presidente da entidade, o ex-ministro da Agricultura Francisco Turra, ao Itamaraty. O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, também receberão o proposta formulada pela ABPA.
 
"A primeira coisa que a Venezuela vai precisar é de alimentos, e ninguém tem garantia melhor de fornecimento do que o Brasil, que tem larga tradição", afirmou Turra ao Valor. O frango é o principal produto da proposta, mas a ABPA também quer exportar carne suína e ovos ao país.
 
No passado recente, a Venezuela foi um destino relevante para a indústria de carne de frango do Brasil. O auge foi em 2014, quando os embarques renderam quase US$ 430 milhões, 5% das exportações do setor, conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pela ABPA. Entre 2009 e 2015, os frigoríficos enviaram pelo menos 99 mil toneladas anuais de carne de frango aos venezuelanos, angariando mais de US$ 200 milhões por ano.
 
Com o recrudescimento da crise econômica na Venezuela, as exportações minguaram. Em 2018, apenas 114 toneladas foram vendidas. De acordo com Turra, a insegurança quanto à capacidade financeira dos importadores para honrar os compromissos pesou.
 
Agora, a avaliação de Turra é que a participação do Brasil nos esforços para tirar Maduro do poder - o país reconheceu Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela - facilita a construção de um instrumento que dê segurança aos exportadores brasileiros, evitando o risco de calote.
 
No passado, durante o governo Hugo Chávez, o setor tentou formular um instrumento parecido - com o petróleo como garantia - mas não teve sucesso. "Eles acharam uma humilhação", disse Turra. Agora, no entanto, a relação amistosa do governo Jair Bolsonaro com a oposição venezuelana pode ser um trunfo para o Brasil, disse.
 
O presidente da ABPA sustenta que a linha de financiamento à exportação proposta é viável economicamente ao governo brasileiro, e não apenas politicamente. De acordo com o dirigente, o petróleo é uma garantia suficiente para dar segurança ao Tesouro Nacional, que teria de arcar com os custos de um eventual calote.
 
Turra avalia que a situação da Venezuela é melhor que a de Cuba. Os frigoríficos brasileiros contavam com uma linha do programa de financiamento à exportação (Proex) para a ilha mesmo sem garantias tão sólidas quanto o petróleo venezuelano, argumentou o presidente da ABPA.
 
O caso de Cuba, porém, se tornou uma dor de cabeça aos frigoríficos. Por causa das relações diplomáticas mais conturbadas com Cuba no governo Michel Temer, os frigoríficos brasileiros não receberam. "Temos para receber US$ 28 milhões desde abril do ano passado", disse Turra.
 
Apesar dos riscos, a ABPA avalia que a retomada das vendas à Venezuela contribuirá com a ambiciosa meta da entidade de exportar 500 mil toneladas por mês - somando carne de frango e carne suína. Em 2018, os embarques mensais atingiram, em média, 392,3 mil toneladas.

Fonte: Valor
 
Comentário
 
      Nenhum comentário para esta notícia!
Deixe seu Comentário para a notícia "Crise na Venezuela pode abrir espaço a frango brasileiro"
(*) - Todos os campos são de preenchimento obrigatório.
Seu Nome*:
Seu E-mail*:
(o email não será publicado)
Cidade*:
Estado*:
Comentário*:
  500 caracteres restantes.
Eu li e aceito as regras de publicação de comentários. VER REGRAS

VEJA TAMBÉM - Outras Notícias da Categoria NOTÍCIAS DE MERCADO
18/02/2019 - Secretário da Fazenda vai a Alesc explicar aumento do ICMS
A Assembleia Legislativa de Santa Catarina realizará na terça-feira, às 16h, uma sessão especial para ouvir o Secretário de Estado...
18/02/2019 - CNA defende agenda positiva para geração de energia no agro
A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) defendeu, na terça-feira (12/02), a construção de uma agenda positiva...
18/02/2019 - Confirmados mais de 140 javalis infectados com peste suína Clássica em Gifu
O governo da província de Gifu, no Japão, informou na quarta-feira (13) que 9 javalis silvestres encontrados em quatro cidades e...
15/02/2019 - Decretos de Pinho Moreira são metralhados por deputados e entidades empresariais
Protestos contra os decretos do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), elevando alíquotas do ICMS sobre o setor produtivo,...
15/02/2019 - Demanda por suínos cresce e preços têm alta nos últimos dias
A demanda por suínos vivos cresceu nas últimas semanas e, como consequência, houve melhora nos preços pagos aos produtores,...
14/02/2019 - Funrural: Receita Federal retira cobrança de 2,5% do Senar sobre folha de pagamento
O Diário Oficial da União da última quarta-feira (13) trouxe uma retificação sobre a cobrança da alíquota do Senar no Funrural...
13/02/2019 - Exportações do agronegócio sobem 6% em 12 meses e somam US$ 102,14 bilhões
As exportações brasileiras do agronegócio atingiram US$ 6,63 bilhões no primeiro mês do ano, 7,4% acima dos US$ 6,17 bilhões de...
12/02/2019 - Suíno: preço da carcaça sobe quase 7% em uma semana, aponta Scot
O mês de fevereiro começou com um aparente ânimo no mercado de suínos. De acordo com levantamento realizado pela Scot Consultoria,...
12/02/2019 - Rodrigo Maia defende que solução para Lei Kandir seja votada até final de março
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu que a Câmara encontre uma solução definitiva sobre a Lei...
11/02/2019 - É preciso revogar os decretos de aumento do ICMS, diz presidente da Faesc
O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedrozo defende a revogação dos...
 
 
Rua do Comércio, nº 655
Centro, Concórdia / SC
CEP: 89700-089
Diretoria
Granjas de Material Genético
50 anos de ACCS
55 anos de ACCS
Relatórios Anuais
Frente Parlamentar
Núcleos e Associações
50 anos ACCS
55 anos ACCS
Rádio ACCS
TV ACCS
Notícias
Links da Suinocultura
Receitas
Newsletter
Agenda de Eventos
Previsão do Tempo
Galeria de Fotos
© - Ideia Good - Soluções para Internet